quinta-feira, 29 de abril de 2010

Orgulho feminino nacional


A paixão pela escrita é a grande motivação para a atividade literária desempenhada pela escritora Nélida Piñon.
Brasileira com descendência galega, Nélida se destaca como um dos maiores nomes femininos da produção literária brasileira da contemporaneidade, e ouso dizer, como um dos maiores nomes da literatura mundial.
Pioneira, foi a primeira mulher a presidir a Academia Brasileira de Letras no biênio 1996-1997, instituição da qual já integrava como imortal desde 1989.
Escritora premiadíssima, coleciona vários dos mais importantes prêmios do mundo literário internacional. Dentre eles, os de maior destaque foram: o Prêmio Príncipe de Astúria das Letras 2005 e o Prêmio Internacional de Literatura Juan Rulfo, em 1995, concedido pela primeira vez a uma mulher e a um autor de língua portuguesa. Recebeu também o título de Doutor Honoris Causa da Universidade de Santiago da Compostela concedido pela primeira vez a uma mulher em 503 anos!
A lista de prêmios importantérrimos que essa carioca de Vila Isabel já recebeu é enorme e seria necessário muito mais que um simples espaço neste blog para descrever,comentar e analisar a importância de cada um deles. A última premiação recebida foi o Casa de las Americas pelo livro Aprendiz de Homero, concedido pelo governo cubano.
A bibliografia da escritora é extensa: Guia-mapa de Gabriel Arcanjo (1961) ; Madeira feita de cruz (1963);Fundador (1969);A casa da paixão (1977);Tebas do meu coração (1974);A força do destino (1977);A república dos sonhos (1984);A doce canção de Caetana (1987);Cortejo do Divino e outros contos escolhidos (2001) e Vozes do deserto (2004) são seus títulos que figuram na categoria romance. Além desses,há outros títulos que se inserem em outras categorias, como por exemplo,memórias: Coração Andarilho (2009); contos: Tempo das frutas (1966),Sala de armas (1973),O calor das coisas (1980), O pão de cada dia(1994); ensaios: O presumível coração da América (2002);Aprendiz de Homero (2008);crônicas: Até amanhã, outra vez (1999) e infanto-juvenil: A roda do vento (1996).
Num país de poucos leitores e muitos analfabetos é incomensurável o valor que a autora possui.Deveríamos nos orgulhar de poder ter entre nós artista tão notável e tão importante.
Busque ler alguma obra de Nélida Piñon e faça sua parte pela valorização do que há de melhor na arte e cultura desse Brasil. Enriqueça-se você também.